“Operação iluminado”, polícia apreendeu armas e suspeito

0
1161

Em continuação à “operaçao iluminado” a Delegacia de Breves retornou mais uma vez ao local do crime e prendeu em flagrante o RONILSON MARQUES LOBATO, vulgo “teco”, por posse ilegal de arma de fogo e auxílio pessoal aos assaltantes, e a CARLA MARQUES LOBATO, alcunha “CARLA”, por participação no crime de auxílio pessoal.

Duas espingardas cartucheiras foram apreendidas, bem como insumos para a fabricaçao de munições. O empréstimo dessas armas aos assaltantes do navio ainda está sendo apurado.

A ação criminosa aconteceu na última quinta-feira (01) a Delegacia de Breves, com o apoio do GTO/PM/Breves, recuperou a mercadoria roubada do navio “iluminado”, atacado na tarde do dia anterior.

O navio saiu de Breves com destino a Gurupá e outras cidades por volta das 13:00.

Às 16:00 os ratos d’agua tomaram a embarcação próximo à vila antonio lemos e permaneceu com ela até às 01:00.

Minutos após o anúncio do assalto um dos passageiros se jogou na agua para se salvar e foi resgatado por uma embarcaçao que passava pela região.

Durante a ação os criminosos agrediram os reféns, ordenaram que os funcionários da embarcaçao fornecessem bebida alcoolica para todos os passageiros gratuitamente, coagiram as pessoas a interagirem amistosamente com eles, e até obrigaram a tripulação a descarregar o navio em esconderijo previamente construído na mata.

A investigação indica que 10 criminosos participaram do crime.

Apenas 10 minutos após os ratos piratas libertarem as pessoas e o navio a equipe mista de policiais civis e militares interceptou a embarcação e imediatamente iniciou as buscas na região.

Ao visualizarem a equipe policial os roedores abandonaram as suas embarcações (rabetas) no meio do rio e foram até a margem mergulhando, quando entao conseguiram fugir através da floresta.

Por volta das 04:30 todo o material roubado foi encontrado e reembarcado no navio.

A despeito de o local do crime pertencer a circunscriçao de Breves, o Delegado Diego Máximo que coordenou a operaçao de busca e resgate decidiu fazer os procedimentos de praxe na cidade de Gurupá, com o fim de minimizar as consequencias gravosas do crime para os passageiros e para o navio, já que eles seguiam viagem de Breves para Gurupá.

A equipe de Breves retornou mais uma vez ao local do crime na tentativa de localizar os autores do crime, mas nao obteve êxito devido a grande extensão e densidade da floresta, além da familiaridade dos criminosos com este ambiente, que até andam de costas na lama para inverter a direçao dos rastros e confundir os policiais.

O Diretor do Grupamento Fluvial, Delegado Dilermando, e a Superquipentende da 8ª RISP, Delegada Vanessa Macedo, também estiveram no local dos fatos e à cidade de Gurupá, em apoio à Delegacia de Breves.

A operação durou dois dias e a maioria dos criminosos já foram identificados.

A Delegacia Fluvial assumirá o caso.

Fonte: Portal Marajó